AJUDAR UM AMIGO QUE ESTÁ A MORRER

O seu amigo está a morrer. Este momento é extremamente difícil não apenas para si, mas também para o seu amigo e para todos os que se preocupam com ele. este artigo tenta guiá-lo de modo a poder ajudar o seu amigo – e a si próprio – nos últimos dias da sua vida.

Quando Um Amigo Está a Morrer

Alguém com quem se preocupa muito está a morrer. Confrontar-se com esta difícil realidade é o primeiro passo para poder ajudar o seu amigo que está a morrer.

Provavelmente, irá aceitar com o passar do tempo o facto da morte iminente do seu amigo, e pode não aceitar até ao momento da morte dele em que finalmente reconhece a realidade. Isto é normal.

Por agora, tente aceitar a condição médica real do seu amigo, apenas na sua cabeça. Mais tarde aceitará no seu coração.

Esteja Presente

Talvez a maior alegria que pode dar ao seu amigo que está a morre seja a sua presença. Em particular se vive perto, tem a oportunidade para demonstrar o seu apoio ao seu lado, literalmente, quando o seu amigo mais precisa de si. Visite o seu amigo no hospital ou em casa não apenas uma vez, mas ao longo dos dias que lhe restam. Alugue um filme e leve pipocas. Jogue às cartas ou ao Monopólio. Sente-se e assista ao pôr-do-sol com ele. A sua simples presença transmitirá ao seu amigo, “eu estou disposto a percorrer esta estrada difícil contigo e a enfrentar tudo o que aí vem”.

Respeite a necessidade de estar sozinho do seu amigo, e perceba que a deterioração da sua condição física poderá deixá-lo com pouca energia. Pode não querer companhia sempre.

Seja Um Bom Ouvinte

O seu amigo pode discutir abertamente a sua doença ou evitar falar nela. A chave é seguir o seu amigo. Nunca esqueça que o seu amigo sofre esta doença de maneira única.

Permita que o seu amigo fale da sua doença ao seu próprio ritmo. E enquanto puder ser um ”porto seguro” para o seu amigo expressar os seus sentimentos e pensamentos, não o force a nada.

Ao ouvi-lo, estará a ajudar o seu amigo durante este período difícil. A sua presença física e o seu desejo de ouvir sem criticar são as ferramentas para puder ajudar. Não se preocupe muito com o que deve dizer. Concentre-se apenas em ouvir o que o seu amigo está a compartilhar consigo.

Aprenda Sobre a Doença do Seu Amigo

“As pessoas podem lutar contra o que conhecem, mas não podem lutar contra o que não conhecem”, costuma-se dizer. Estará mais preparado para ajudar o seu amigo se aprender mais sobre a doença dele. Consulte livros de referência médica na sua biblioteca local. Peça informações a associações educacionais como a Liga contra o Cancro ou `Fundação de Cardiologia. Com o consentimento do seu amigo, pode também falar com o médico dele.

Se estiver bem informado sobre a doença e provável causa, será um ouvinte melhor e mais compreensivo sempre que ele quiser falar. Também estará mais preparado para a realidade das ultimas fases da doença.

Seja Compassivo

De o seu consentimento ao seu amigo para ele lhe poder falar dos seus sentimentos e pensamentos sem medo de criticas. Aprenda com o seu amigo: não dê instruções nem crie expectativas de como ele ou ela deve responder. Pense no seu papel de ajuda como “caminhar atrás”, não como “caminhar com” nem “caminhar à frente” de quem está a morrer.

Nunca diga, “Sei como te sentes”. Não sabe. Comentários como, “É a vontade de Deus” ou “deves estar contente com a vida maravilhosa que tiveste” não ajudam. Pelo contrário, magoam e faz com que a experiência da doença terminal do seu amigo se torna mais difícil. Se sente necessidade de consolar o seu amigo, diga-lhe simplesmente que o ama.

Ofereça Ajuda Prática

Provavelmente o seu amigo precisa de ajuda nas actividades diárias da vida. Cozinhar, lavar a roupa, limpar a casa ou levar o seu amigo ao hospital para o tratamento são algumas das tarefas que pode desempenhar para demonstrar cuidado.

Mantenha-se em Contacto

Se não pode visitar o seu amigo devido à distância ou outras circunstâncias, escreva uma carta. O que deve escrever? Escreva-lhe o quanto ele significa para si. Lembre alguns momentos divertidos que passaram juntos. Prometa voltar a escrever rapidamente – e cumpra a promessa. Evite enviar um cartão comemorativo genérico a não ser que o personalize com uma mensagem sincera.

Se não gosta mesmo de escrever, pense em enviar uma cassete vídeo, ou áudio, gravada com mensagens ao seu amigo. Ou mais simples ainda, telefone.

Procure Apoio Para Si Próprio

Alguém de quem gosta muito está a morrer e não tarda que isso aconteça. Você também precisa de apoio, para explorar os seus próprios sentimentos relativamente à doença e às mudanças que vê no seu amigo. Encontre alguém com quem possa falar sobre os seus próprios sentimentos e que não o julgue. E não se esqueça de cuidar de si mesmo. Coma refeições equilibradas. Descanse. Faça exercício. Passe algum tempo a fazer coisas que o deixam feliz.

Muitos hospitais possuem grupos de apoio para os amigos e familiares de pessoas em fase terminal – para antes e após a morte. Tire proveito desses recursos de apoio.

Perceba as Suas Próprias Limitações

Nem todas as pessoas conseguem oferecer uma amizade contínua, encorajadora a um amigo que está a morrer. Se sente simplesmente que não consegue lidar com a situação, tente perceber a sua resistência e aprenda com ela. Pergunta, “Porque é que estou tão incomodado com isto?” ou “O que posso fazer para me tornar um amigo mais espontâneo, compassivo nos momentos de necessidade?”.

Porem, não evite completamente o seu amigo. As pessoas com doenças terminais são, frequentemente, abandonadas pelos seus amigos e familiares, sentindo-se sozinhas e deprimidas. Em vez da visita, telefone-lhe. Escreva se não consegue telefonar. Deixe que o seu amigo perceba que é uma situação difícil para si ao mesmo tempo demonstre-lhe que os medos e necessidades do seu amigo são mais importantes.

Por outro lado, não se torne obcecado pela doença do seu amigo ou que deve ser o único apoio do seu amigo. Não o sobrecarregue emocionalmente.

Aceite a Sua Própria Espiritualidade

Se a fé faz parte da sua vida expresse a sua fé do modo que acha mais indicado durante este momento difícil. Reze pelo seu amigo e família se a oração é importante para si. Esteja rodeado por pessoas que aceitam e compreendem a sua crença religiosa. Se está zangado com Deus devido À doença do seu amigo, não faz mal. Encontre alguém com quem possa expressar os seus sentimentos e pensamentos sem medo de ser julgado.

Procure a Esperança e Recupere

Depois da morte do seu amigo, tem de fazer o luto para puder voltar a amar e a viver novamente. Não pode recuperar completamente a menos que expresse o seu sofrimento abertamente. Negar a sua dor, antes e depois da morte, só fará com que fique mais confuso e subjugado à dor. Aceite a sua dor para que possa recuperar.

A recuperação do luto não acontece rapidamente. Lembre-se, o luto é um processo, não um acontecimento. Seja paciente e tolerante consigo mesmo. Não se esqueça que a morte de alguém que amou muda a sua vida para sempre.