AJUDAR AS CRIANÇAS NO FUNERAL

O Funeral Para Adultos e Crianças

A maioria dos rituais da nossa sociedade foca-se nas crianças. O que seriam os aniversários ou o Natal sem crianças? Infelizmente, o ritual funerário, cujo objectivo é ajudar as pessoas despojadas a encontrar algum conforto nos outros, não é visto como um ritual para crianças. As crianças não são incluídas no funeral porque os adultos querem protegê-las. Argumentam: o funeral é doloroso por isso vou protegê-las dessa dor.

É verdade, os funerais são muito dolorosos, mas as crianças têm tanto direito de participar neles como os adultos. Os funerais são importantes para sobreviventes de qualquer idade porque:

Ajudam a reconhecer a morte de alguém
Promove uma estrutura de apoio e ajuda durante o período inicial do luto
Promove um período de tempo para homenagear, lembrar e confirmar a vida da pessoa que faleceu
Permite a “procura de significado” no contexto religioso ou filosófico de cada pessoa

Explicar o Que É...

A não ser que a criança já tenha ido a outro funeral antes, não sabem o que podem esperar de um funeral. Pode ajudar explicando o que vai acontecer antes, durante e depois da cerimónia. Deixe que as perguntas e natural curiosidade das crianças guie a discussão.

Dê tantos detalhes quanto o interesse da criança em ouvir. Pode explicar como estará a sala, quem estará presente e quanto tempo durará, por exemplo. Quando possível, leve a criança antes do funeral à agencia funerária. Isto permite-lhes mais liberdade para reagir e falar abertamente dos seus sentimentos e preocupações.

Deixe a criança saber, com antecedência, se o corpo estará à vista durante essa visita ou no próprio funeral. Se o corpo for cremado, explique o que é a cremação e o que acontecerá às cinzas. Certifique-se de que a criança percebe que a pessoa já estava morta, que não sentiu dor ou qualquer outra coisa durante a cremação.

Também se deve ajudar as crianças a perceberem que no funeral irão ver as pessoas expressarem muitas emoções. Irão ver pessoas a chorar, carrancudas e até risadas. Se os adultos expressarem livremente as suas emoções, as crianças sentir-se-ão mais livres para expressarem os seus próprios sentimentos de perda.

E os Porquê’s...

Ajude as crianças a compreenderem porque temos os funerais. As crianças precisam que o funeral é um momento de tristeza porque alguém morreu, um momento para homenagear a pessoa que faleceu, um momento para ajudar a confortar e apoiar o outro e um momento para confirmar a vida da pessoa falecida.

Uma razão por que as crianças parecem aceitar facilmente o funeral, é por ser um momento para se dizer adeus. E dizer adeus é reconhecer que a pessoa que amamos foi embora e não volta mais. Se o corpo irá estar à vista, diga à criança que ver o corpo ajuda as pessoas a dizerem adeus e que se quiser pode tocar na pessoa que amou uma última vez.

Também é um bom momento para explicar qual o significado espiritual do funeral para si. Pode ser difícil, até para os adultos é um momento complicado para articular as suas convicções acerca da vida e da morte. Lembre-se: as crianças têm dificuldade para compreenderem coisas abstractas, por isso é melhor utilizar coisas concretas para explicar conceitos religiosos.

Inclua as Crianças no Ritual

Quando achar apropriado, pode convidar as crianças não apenas a assistir ao funeral mas também a fazer parte dele. As crianças apreciam sentir que os sentimentos deles “interessa” e que podem partilhar a sua recordação preferida ou ler um poema especial no funeral. As crianças mais tímidas podem querer acender uma vela ou colocando qualquer especial dentro da urna (uma recordação ou uma fotografia, por exemplo). E muitas crianças sentem-se menos abandonadas quando são convidadas a ajudar a planear o serviço funerário.

Encoraje, Mas Não Force

As crianças devem ser convidadas e assistir ou a participar nos funerais, mas nunca devem ser forçadas. Quando são afectuosamente guiados no processo a maioria das crianças quer assistir ao funeral. Ofereça opções à criança: “Podes ir hoje com todos ou se quiseres posso levar-te hoje de manha cedo para dizeres adeus em privado”.

Compreenda e Aceite o Modo da Criança Sofrer

Não diga À criança o que ele deve ou não sentir, principalmente durante o funeral. Lembre-se que frequentemente as crianças precisam aceitar o sua dor em fases, e esses sinais externos podem ir e vir. Não é nada invulgar, por exemplo, as crianças quererem brigar com os primos durante a cerimónia ou jogarem jogos logo após o funeral. Em vez de castigar o comportamento deles, deve respeitar a necessidade da criança ser criança durante este período difícil. Se o comportamento da criança estiver a perturbar os outros, explique-lhe que existem comportamento aceitáveis e comportamento inaceitáveis num funeral e que espera que ela (ou ele) tenha em consideração os sentimentos dos outros que também sofrem – incluindo você.

Esteja Presente

Estar presente (antes, durante e depois do funeral) é a coisa mais importante que pode fazer para ajudar a criança. Quando estamos a sofrer, todos precisamos do apoio dos outros. Mas, principalmente, as crianças que sofrem precisam saber que não estão sozinhas.

A proximidade física e o conforto transmitem segurança à criança durante os tempos de angústia. O que diz pode não ser tão importante como um toque no ombro, uma mão nas costas ou um ombro para chorar.

Lembre-se de ser um bom observador do comportamento das crianças. Seja paciente e esteja disponível assim como permita aprender com as crianças o que o funeral significa para elas.

Funerais: Uma Palavra Final

Uma autor anónimo escreveu “Quando as palavras são inadequadas, crie um ritual”. Tanto para as crianças como para os adultos a morte deixa-nos, de maneira semelhante, estupefactos. O funeral, um ritual conhecido desde o inicio dos tempos, existe para nos ajudar lembrar a vida que já foi vivida e para nos apoiarmo-nos uns aos outros. Como adultos, devemos ter em atenção a explicação às nossas crianças do valor que tem para todos a morte daquela pessoa amada.

A Linguagem dos Funerais

Lembre-se de usar palavras simples e concretas ao falar com a criança sobre a morte. Seguem-se algumas sugestões para explicar alguns termos funerários:

Cinzas

O que resta do corpo morto depois da cremação. Parecem-se com as cinzas de um fogo.

Enterro

Colocar o corpo morto (que está dentro de uma urna) debaixo da terra.

Urna (também denominado por “caixão”)

Uma caixa de madeira especial para enterrar um corpo morto.

Cemitério

Um lugar onde são enterrados muitos corpos mortos.

Morto (também denominado por “corpo morto” ou “cadáver”)

Quando o corpo de uma pessoa deixa de trabalhar. Não vê, não ouve, não sente, não respira, não come, etc..

Funeral

Um momento em que os amigos e a família se juntam para dizerem adeus e recordarem os bons momentos que passaram junto à pessoa que faleceu.

Casa Mortuária

Local onde se colocam os mortos até à cerimónia do funeral.

+351 284 311 300

+351 967 311 300

+351 284 311 309

38°00'55.5" N / 7°51'50.7" W


FUNERAIS - CREMAÇÕES - TRASLADAÇÕES - ARTIGOS RELIGIOSOS

ENCONTRE-NOS EM BEJA.

PME Líder Cerci Beja Montepio